terça-feira, 3 de outubro de 2017

Sexo: esclarecimentos para católicos solteiros e casados


Uma explicação simples sobre o sentido da sexualidade nos planos de Deus
Sexo!!!

Eu pensava que esse assunto já estava claro na mente dos fiéis, mas não. A bagunça ainda existe. Solteiros que acham que NÃO É pecado, e casados que pensam que É. Vamos clarear isso!

O sexo é uma graça de Deus. É através dele que a vida humana floresce. Nada que Deus criou é ruim em si mesmo, pois Ele é o Sumo Bem. No entanto, o pecado chegou pra desconstruir os planos do Criador. Como diz um tio meu, Deus fez a cana e o diabo inventou a cachaça.

No matrimônio, o sexo é um ato sagrado. Jesus revelou a uma alma mística que, quando a esposa se recusa sem motivos sérios, está impedindo que o esposo beba na fonte da vida, e vice-versa. Há casamentos sendo destruídos por uma má compreensão do sexo. Uma senhora chegava a fugir do marido quando ele a procurava. Pegava o terço e dizia: “Tá repreendido. Saia daqui…” Existem casais que não comungam após uma noite de amor. Outra senhora que cobria o crucifixo do quarto com uma toalha “para Jesus não ver”. Minha gente, a cama de um casal ‘casado’, é o altar da vida, é um lugar santificado. Tobias e Sara rezavam antes de se deitarem. Não é a toa que a Igreja diz que o casamento só é consumado na noite de núpcias. Acordem pra vida!

Já no caso dos solteiros, aí sim a coisa complica. Buscar o prazer no outro, sem ter um compromisso, é fazer da pessoa um objeto. Quando alguém se casa, está se dando ao outro por inteiro. É o mesmo que dizer: “Vou tocar no teu corpo porque te amo. Ele será meu, e o meu será teu, por toda a vida”. Sexo antes do compromisso matrimonial, é dizer: “Vou usar o teu corpo para satisfazer minhas paixões… você é meu copo descartável”. Por isso há tanta gente desestruturada, por ter sido usada e ferida naquilo que tem de mais íntimo. O corpo que nasceu para ser um jardim secreto de delícias, torna-se pasto de animais selvagens.

Quer escapar da Aids, da gravidez indesejada e dos traumas no namoro? Então previna-se! Seja casto (a) e busque um relacionamento em Deus. Deixe o ‘tico-tico no fubá’ para aquele (a) que tiver a coragem de te levar ao altar e dizer, diante de todos: “Recebe esta aliança como sinal do meu amor”.

Padre Gabriel Vila Verde

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

A oração recomendada por um exorcista para escorraçar todo mal


Ele realizou nada menos que 70 mil exorcismos ao longo do seu ministério

Desde o Éden, o diabo “ronda como um leão rugente, à procura de quem devorar” (cf. 1 Pedro 5,8). A presença do diabo é real, mas não deve assustar: o poder de Satanás é limitado e pode ser rechaçado por quem invoca o auxílio de Deus.
O Pe. Gabriele Amorth, falecido em 2016 e considerado um dos maiores exorcistas do mundo, recomendava diversas orações para combater toda forma de mal que pudesse oprimir uma pessoa. Ele observava, no entanto, que, por mais que essas orações sejam poderosas, elas devem sempre estar unidas ao sacramento da Confissão e à frequente Comunhão Eucarística.
É de enfatizar, ainda, que essas orações precisam ser feitas com humildade, reconhecendo-se que é Deus quem expulsa o mal do nosso meio. Nós não temos poder sobre o diabo: só o Senhor do Céu e da Terra é que possui a plena autoridade.
Entre as orações recomendadas pelo pe. Gabriele Amorth, a Anima Christi, ou Alma de Cristo, é uma das mais poderosas.

Alma de Cristo

Alma de Cristo, santificai-me.
Corpo de Cristo, salvai-me.
Sangue de Cristo, inebriai-me.
Água do Lado de Cristo, lavai-me.
Paixão de Cristo, confortai-me.
Ó bom Jesus, ouvi-me.
Dentro de Vossas chagas escondei-me.
Não permitais que eu me separe de Vós.
Do inimigo maligno defendei-me.
Na hora da minha morte chamai-me.
E mandai-me ir para Vós
Para que com vossos Santos Vos louve
Pelos séculos dos séculos.
Amém.

Original em latim: Anima Christi

Anima Christi, sanctifica me.
Corpus Christi, salva me.
Sanguis Christi, inebria me.
Aqua lateris Christi, lava me.
Passio Christi, conforta me.
O bone Jesu, exaudi me.
Intra tua vulnera absconde me.
Ne permittas me separari a te.
Ab hoste maligno defende me.
In hora mortis meae voca me.
Et iube me venire ad te,
Ut cum sanctis tuis laudem te
In saecula saeculorum.
Amen.

Philip Kosloski

domingo, 17 de setembro de 2017

Parábola da indecisão


Você é do tipo que "fica em cima do muro"?

Havia um grande muro separando dois grandes grupos.
De um lado do muro estavam Deus, os anjos e os servos leais de Deus.
Do outro lado do muro estavam Satanás, seus demônios e todos os humanos que não servem a Deus.
E em cima do muro havia um jovem indeciso, que havia sido criado num lar cristão, mas que agora estava em dúvida se continuaria servindo a Deus ou se deveria aproveitar um pouco os prazeres do mundo.
O jovem indeciso observou que o grupo do lado de Deus chamava e gritava sem parar para ele:
– Ei, desce do muro agora… Vem pra cá!
Já o grupo de Satanás não gritava e nem dizia nada. Essa situação continuou por um tempo, até que o jovem indeciso resolveu perguntar a Satanás:
– O grupo do lado de Deus fica o tempo todo me chamando para descer e ficar do lado deles. Por que você e seu grupo não me chamam e nem dizem nada para me convencer a descer para o lado de vocês?
Grande foi a surpresa do jovem quando Satanás respondeu:
– É porque o muro é MEU.

Reginaldo, da Comunidade Alpha e Ômega

terça-feira, 29 de agosto de 2017

A prática espiritual do casal: comunhão e fidelidade

Entenda melhor o que o casamento significa nos planos de Deus

Quando Deus quis que a humanidade existisse, estabeleceu um plano: criar o homem e a mulher para que, vivendo o amor, se multiplicassem enchendo a terra de seus filhos. Por isso, no início da humanidade, Deus disse ao primeiro casal: “O homem deixa a casa de seu pai, se une a sua mulher, e sereis uma só carne” (Gên 2m24). E disse-lhes: “Crescei e multiplicai, enchei a terra e submetei-a” (Gên 2,28).

Então, o casamento não é mera “curtição” a dois, não, é uma bela “missão” que Deus deu cada casal: viver o amor na fidelidade um ao outro até a morte, gerando e educando os filhos para Deus. É uma missão tão árdua como a do sacerdote, que vive apenas para Deus e seu Reino.

O casal cristão tem a missão de “crescer a dois”, cada um fazer o outro melhor. Alguém disse que “amar não é querer alguém construído, mas construir alguém querido”. Essa é a primeira e bela missão do casamento: construir o outro com o seu amor. Mas, amar não é fácil, é dar-se, é renunciar-se, é dizer não a si mesmo para dizer sim ao outro.

Ensina a Igreja que o casal cristão deve viver uma “paternidade responsável”; ou seja, ter todos os filhos que puderem criar com dignidade, sem limitar seus nascimentos por comodismo, medo, egoísmo ou outro motivo vil. E isso também não é fácil, por isso o mundo rejeita radicalmente essa proposta de Deus. Não é uma missão fácil, se fosse não haveria tantas separações. O pecado original destruiu a bela harmonia interna em cada um de nós; e passamos a ser atraídos pelo mal, pelo pecado que dificulta a vida conjugal. Daí nascem as infidelidades, as brigas, os egoísmos, etc.

Mas Jesus Cristo veio restaurar a família e o casamento com a sua graça. Ele entrou no nosso mundo pela porta da família e seu primeiro milagre foi num casamento. Ele transformou o casamento em sacramento, isto é, uma graça especial para os que se casam, para que possam cumprir como Deus deseja, a dura missão de pais e esposos fiéis. Agora, com Cristo é possível viver um casamento fiel e feliz até a morte; com Cristo é possível não trair o cônjuge e nem os filhos.

No entanto, é preciso que o casal tenha uma vida espiritual: vida de oração, de frequência aos sacramentos da Confissão e Comunhão, reza do santo Terço em família, meditação da Palavra de Deus e de bons livros. Sem isso a alma esfria, e o Mal desce sobre ela. Sabemos que a mosca não desce sobre um prato quente!

Não é fácil a vida conjugal e sexual do casal; muitos são os problemas que todos enfrentam. Os defeitos de um irritam os defeitos de outro, o ajustamento nem sempre é fácil, a paciência e a tolerância com os erros de cada um nem sempre acontece. Mas Deus é a fonte do amor, da bondade, da mansidão e da paz. É Nele que o casal precisa se abastecer todos os dias, recarregar Nele sua disposição em viver as virtudes que trazem a felicidade ao lar.

Não é fácil manter a família, fazer todas as despesas, educar os filhos, superar os problemas e conflitos do lar; mas, com Deus presente, tudo passa, tudo se resolve, Ele tudo providencia porque está no comando de um lar que O adora e serve. Diz o salmista:
“Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os seus construtores. Se o Senhor não guardar a cidade, em vão vigiam as sentinelas. Inútil levantar-se antes da aurora, e retrasar até alta noite o vosso descanso, para comer o pão de um duro trabalho, pois Deus o dá a seus amados até durante o sono. Vede, os filhos são um dom de Deus, uma recompensa o fruto das entranhas.” (Sl 126, 1-3)
Coloque sua família, seu casamento, nas mãos de Deus e deixe que Ele o guie!

Prof. Felipe Aquino